quarta-feira, 30 de julho de 2008

Expert da beleza ensina 9 mudanças sutis para quem tem medo de radicalizar



Se você anda cansada da própria aparência, experimente e colecione os elogios
Você anda fugindo do espelho, mas tem medo fazer mudanças radicais no visual? Bobagem, cuidados simples podem fazer toda a diferença e decolar sua auto-estima , afirma o cabeleireiro Joe Rocha, do salão RW Hair Design, em São Paulo. A seguir dicas, ele dá uma série de dicas de beleza rápidas e de efeito surpreendente!

Sobrancelha em dia

Grossas, finas ou curvadas, o importante é apostar em sobrancelhas sempre feitinhas, elas mudam a feição e levantam o olhar. Quando estão em dia e bem delineadas, as sobrancelhas fazem milagres no rosto e até valorizam a
maquiagem. Uma dica é recorrer a um profissional na primeira vez que for se livrar dos pelinhos a mais e, depois, só manter o desenho em casa, usando a pinça. O formato natural delas deve ser mantido para garantir a aparência harmoniosa , diz o expert da beleza.

Diga sim aos tonalizantes

Os tonalizantes agridem menos os cabelos, já que não possuem amônia. E o resultado fica supernatural. Você consegue até fazer a mudança em casa: a aplicação é muito fácil e, em minutos, a nova cor está pronta. E nem precisa se preocupar com arrependimentos: caso o tom não agrade muito, em oito ou dez lavagens ele já desceu pelo ralo e seus cabelos voltam para cor natural. De acordo com Joe, os tonalizantes ainda têm uma vantagem extra: eles oferecem mais brilho, porque o pigmento reveste os fios, sem penetrá-los (como fazem as tinturas que corrigem os grisalhos, por exemplo).

Aposte nas Luzes
As luzes são mechas bem finas, que pode ser feitas por todo o cabelo ou só em pequenas partes dele. Essa variação permite que a técnica fique bem em todos os estilos e em diversas tonalidades. Os tons claros dão uma aparência queimada de sol e são ótimos no inverno ou para quem é obrigado a passar o verão longe da praia. Os acobreados, por sua vez, caem bem em mulheres mais modernas. Só tome cuidado na escolha da descoloração, preferindo uma cor que combine com o tom da sua pele e procure produtos que não agiram muito os fios.

Corte as pontas
O importante não é a quantidade que se corta e sim o efeito que o corte causa afirma o cabeleireiro. Quando fica muito tempo sem ver a tesoura, o cabelo apresenta pontas duplas e perde o caimento. O fio reto perde o brilho e cria um aspecto ressecado. Os repicados enchem-se de pontas duplas. Nos cabelos com química, o corte deve ser feito pelo menos a cada 2 meses, enquanto os cabelos naturais pedem manutenção a cada 2 meses e meio.

Tire o buço
Olhe-se no espelho, detidamente. É possível ver alguns pelinhos? Então mãos a obra, trate de tirá-los, uma aum. Vale usar a pinça ou cera (se você tiver muitos pêlos ouse ele forem grossos demais). Repita a operação a cada 15 dias para manter um rosto de traços leves.

Unhas bonitas

Estar com as unhas feitas e limpas é mais do que um cuidado com a estética, mostra que você é uma pessoa higiênica e cuidadosa. Até mesmo os homens assumem que reparam nas mãos de uma mulher. E não precisa gastar rios de dinheiro com isso. Você mesmo pode cuidar disso, lixando e empurrando as cutículas com uma espátula.

Descoloração
Nem sempre dá tempo de acertar a depilação. Como medida de emergência, descolorir é uma boa alternativa (mas não faça disso um hábito, os componentes dessas fórmulas são muito irritantes e podem ressecar demais a pele).

Que tal, franja?
Um pequeno detalhe que pode deixar seu visual mais moderno e sensual. Cortar a franja está super na moda e provoca uma mudança e tanto. Se você tem medo ou não gosta da versão na altura da testa, experimente a franja falsa, que deixa os cabelos com um caimento lindo e pode ser facilmente escondida atrás das orelhas ou presa com charmosa fivelinha.

Raiz na cor certa
Pintar os cabelos dá trabalho: além de usar xampus especiais e fazer hidratações, não dá para descuidar da raiz. A tintura deve ser retocada pelo menos uma vez por mês e, em casos de cabelos claros, o ideal mesmo é fazer os retoques a cada 20 dias. Trata-se d eum procedimento bem rápido e que você mesma pode fazer em casa. Pergunte sempre ao seu cabeleireiro o nome da tintura que ele passa e assuma o compromisso de sempre manter a cor em dia.



abogados propiedad industrial
acuarios
agencias de viajes
Buscar vuelos
cursos de ingles en el extranjero
dormir
lenticular
Maletas
ozonizadores
posicionamiento en google

Cabelo hidratado!



Fonte:msn.minhavida.com.br
Por Gennaro Preite - Cabeleireiro

Cabelo hidratado: como e o quê aplicar
Para a maioria das mulheres, fios sedosos significam a aplicação excessiva de cremes, mas isso é um mito!


As fibras capilares externas, chamadas de cutículas, não precisam de uma quantidade demasiada de produto para que fiquem fechadas e saudáveis. O fato é que devemos utilizar o cosmético ideal para cada tipo e problema.

Pela diversidade de hidratantes que o mercado oferece, não se pode usar qualquer um, escolhendo-o apenas pelo perfume. O correto é observar no rótulo as indicações, essências e substâncias que ele contém. Existem cremes para cabelos secos, oleosos, cacheados, lisos e com processos químicos (coloridos, tintos e descoloridos) e conhecer algumas substâncias e suas propriedades ajuda na escolha certa:

- Colágeno:
hormônio que proporciona elasticidade e maciez à pele e aos

cabelos. Ideal para cabelos quebradiços e desvitalizados

- Aloevera: mais conhecido como babosa, trata a fibra capilar e serve como uma cola para os que têm ponta dupla. Ideal utilizar em cabelos secos e opacos.

- Manteiga de Karitê:
tem a função de
hidratar as madeixas quimicamente processadas, devolvendo o brilho e a maciez. Indicada para os afros, coloridos, descoloridos e fios que tenham passado por alisamentos (relaxamento, escovas progressiva e definitiva).

- Queratina: sua principal função é envolver o fio com uma película, tornando-o mais resistente, além de impedir que agentes externos o afetem. O importante é que antes da aplicação dessa proteína, a cabeleira esteja hidratada, para ser selado pela queratina. Sem um tratamento prévio, o resultado não será obtido. Indicado para todos os tipos de cabelos.

- Macadâmia: é uma noz que proporciona uma hidratação intensa e deve ser evitada por tipos normais e oleosos. Os secos e quimicamente tratados
podem abusar de produtos com esse princípio ativo.

- Outra dica importante: após a hidratação, deve-se enxaguar os fios e aplicar o condicionador no comprimento.

A atenção e o cuidado com a hidratação capilar, sem exageros, resultarão em beleza e saúde para o cabelo.

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Cuidados na depilação

Responda rápido: o que fideliza a cliente na hora da depilação? Se você respondeu tornar o processo doloridíssimo (sim, não adianta dizer que não vai doer nada) o menos incômodo possível, acertou. O problema é saber como fazer isso com propriedade, ou seja, ter realmente um conhecimento de causa tanto na hora de executar a tarefa quanto no momento em que surgem as perguntas sobre o processo. Para isso, pedimos à dermatologista Claudia Magalhães, da Clínica Magalhães, de Recife e à esteticista Regina Jordão, proprietária do instituto de depilação Pello Menos, no Rio de Janeiro, que respondessem as dúvidas mais comuns sobre o assunto.
/


1. Cera quente causa varizes?
Não. As ceras depilatórias – fria, morna ou quente – têm ação apenas superficial. As veias e vasinhos ficam localizados muito abaixo da hipoderme, ou seja, a temperatura não provoca nenhum problema. Porém, clientes que sofrem com varizes de grosso calibre, escuras e com muito relevo, costumam ter o local inchado e naturalmente dolorido. Por isso, a fim de evitar desconfortos, ela deve consultar o médico antes de fazer a depilação.

2. Depilar a quente dói menos que a frio?
Sim. Além de atuar como relaxante, a cera quente dilata os poros facilitando a retirada do pêlo. Por isso, pessoas com alta sensibilidade devem ser atendidas com esse tipo de produto.

3. É preciso esperar 30 dias para repetir a depilação?

Isso é falso. Os pêlos têm diferentes velocidades de crescimento. Portanto, após 15 a 20 dias, já existem, em geral, fios suficientes para uma nova depilação. “Além disso, 28 dias é o tempo para a pele se reepitelizar quando existe um processo ablativo, que fere sua superfície. Não é o caso da depilação com cera, desde que corretamente realizada”, explica a doutora Cláudia.

4. A cera deixa os pêlos mais finos?
Não. Mas, por conta das diferentes velocidades de crescimento dos pêlos, têm-se a impressão de que eles diminuem com o tempo.

5. Quem tem alergias cutâneas pode depilar com cera quente?
Depende. Se a cliente sofre de eczema atópico (asma da pele) é muito importante nunca depilar uma área irritada. Além disso, é preciso checar se há histórico de alergia a algum dos componentes do produto.

6. A cera quente faz os pêlos crescerem mais depressa do que a cera fria?
Não importa o método usado. Toda retirada dos pêlos pela raiz faz com que eles levem, em média, de 20 a 25 dias para crescerem novamente.

7. Se aplicada com freqüência, a cera quente provoca flacidez nas regiões onde a pele é mais fina, como abaixo da sobrancelha e no buço?

Não. O puxa-puxa, apesar de dolorido, tem ação superficial. A flacidez é causada pelo enfraquecimento das fibras de colágeno e elastina, que não são atingidas durante a depilação.

8. Depilações em áreas íntimas tiram a proteção que os pêlos dão às mucosas?
De certa forma, sim. “Os pêlos fazem parte do sistema de defesa da nossa pele. Qualquer tipo de depilação é uma agressão que fragiliza o organismo e predispõe a região genito-anal à contaminação por agentes externos como fungos e bactérias”, destaca a dermatologista Cláudia.

9. Retirar os pelinhos que sobram com a pinça os deixam mais fortes?
É pura bobagem. Os pêlos que resistem à cera devem ser retirados com pinça para dar acabamento. Na depilação a quente, a pele fica relaxada e os poros, dilatados, fazendo com que os fios fiquem desprendidos de sua raiz, facilitando a extração.

10. A cera quente escurece a pele?
Sim. As manchas escuras podem aparecer caso haja exposição ao sol sem o uso do protetor solar após a depilação ou se a cera for aplicada sobre uma lesão. O produto tira a camada de proteção da pele, deixando-a mais exposta e vulnerável.

11. A cliente deve intercalar o uso da cera com o da lâmina para não irritar a pele?
As reações pós-depilação variam de acordo com cada um. Algumas pessoas não sentem praticamente nada. Vale lembrar que as donas de fios volumosos e grossos estão mais sujeitas à irritação e ao encravamento.

12. É verdade que o calor do verão eleva a temperatura da cera, piorando a vermelhidão?

Não. A temperatura interna de cada pessoa é que muda conforme o clima, tornando a depilação mais suportável ou não.

13. A cera quente faz com que os fios encravem mais?

Qualquer forma de depilação que puxe os pêlos pela raiz (ou seja, com o bulbo capilar), como é o caso das ceras e dos aparelhos elétricos, propicia o encravamento dos fios, já que, quando voltam a nascer, alguns não conseguem romper a superfície da epiderme. A lâmina de barbear corta rente à pele, por isso eles não encravam. Para evitar o problema, deve-se fazer sempre uma exfoliação.

/
Depiladora nota 10
Uma boa profissional deve evitar...


• Comentar como a cliente está peluda.
• Dizer que não vai doer nadinha.
• Ressaltar que os pêlos dela são grossos e escuros.
• Explicar que a depilação vai deixá-la “limpinha”.
• Insistir em fazer a depilação íntima
• Exceder na quantidade de cera lambuzando a roupa da pessoa.
• Usar piranha para prender a calcinha durante a depilação da virilha.
• Espirrar, tossir ou assoar o nariz diante da cliente.
/
E deve sempre...
• Higienizar as mãos antes de qualquer procedimento.
• Manter as unhas curtas e limpas.
• Usar luvas e máscara no rosto.
• Dar uma calcinha descartável para quem for depilar a virilha ou, então, amarrar a calcinha da cliente com uma fitinha e, depois, descartá-la.
• Trabalhar com espátula e pinça descartáveis.
• Trocar o papel da cama à vista da cliente, inclusive quando ela for virar de costas para depilar a parte posterior das pernas, já que o papel sempre rasga.
• Testar a temperatura da cera antes de aplicá-la sobre a pele.
• Ter calma na hora da aplicação.
• Conversar com a cliente e esclarecer todas as suas dúvidas.
• Limpar as áreas depiladas com lenços umedecidos.
• Oferecer desodorante spray sem álcool para quem acabou de depilar as axilas.

Fonte: purabellezza.blogspot.com

17 questões para tirar todas as suas dúvidas sobre química, escova progressiva e defrisagem

Especial Alisamento



O que é o formol e por que escovas progressivas com ele são condenadas?
É uma substância utilizada, principalmente, para a conservação de outras substâncias e até de tecidos (é usado em biópsias, por exemplo, para impedir a degradação antes da análise). Pode ser facilmente absorvido pelas mucosas e ocasionar problemas sérios para a saúde, tanto da cliente quanto do cabeleireiro. A dermatologista Denise Steiner, diretora da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Câmara Técnica de Cosméticos da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), não recomenda nem aprova fórmulas à base de formol. "Se for usada uma concentração alta de formol em produtos para o cabelo, os fios podem se tornar ainda mais quebradiços. Ele danifica a cutícula, que é a parte mais externa do fio e deixa o córtex, a parte interna, bastante vulnerável ao ressecamento e ao desbotamento", explica a especialista.

Como saber se uma fórmula de alisamento é confiável?
Toda fórmula de produtos para cabelo deve ter registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (www.anvisa.gov.br). A Anvisa promove a saúde da população fazendo controle sanitário da produção e da comercialização de cosméticos, incluindo as substâncias de sua fórmula. Também é importante que o cabeleireiro esteja preparado para fazer um bom diagnóstico do fio, identificando se os princípios ativos que serão usados são compatíveis com o da coloração ou do processo químico feito anteriormente. Cada ativo é melhor para um tipo de cabelo ou mais indicado para um resultado que se quer alcançar.

A queratinização capilar tem a função de alisar ou tratar?
Queratinização, reconstrução ou cauterização são variações de nomes usados em salões ou por laboratórios fabricantes para um mesmo tipo de tratamento reconstrutor dos fios. Ele tem a função de repor a queratina que é eliminada durante processos de alisamentos, colorações ou pela ação de agentes externos, como o sol e a água da piscina. "O choque de queratina recompõe a fibra capilar, deixa o fio mais macio, sedoso e disciplinado, mas não é capaz de fazer um alisamento", avisa Alessandra Brasca, relações públicas da Aneethum.

A defrisagem à francesa é um método de alisamento ou de tratamento para o cabelo?
A defrisagem à francesa ajuda a diminuir o volume e a domar os cachos. É um tipo suave de alisamento e não um tratamento. "Para que os fios permaneçam com brilho e maciez é importante submeter o cabelo a procedimentos nutritivos, que repõem a queratina, o colágeno e os aminoácidos perdidos durante a química", aconselha o cabeleireiro Aníbal Ramirez, do salão DeLuca Studio, no Rio de Janeiro.

Qual a técnica mais indicada para deixar superliso um cabelo levemente ondulado?

Há várias técnicas capazes de alisar qualquer tipo de fio, inclusive lisos com ondulação. Nesse caso em que a transformação não será muito brusca o ideal é optar por uma fórmula mais suave. A Escova à Francesa, por exemplo, à base de silicones e aminoácidos, disciplina os fios e reduz o volume. Pode ser refeita com intervalo de sete a dez dias. Quem quer o cabelo bem liso, no entanto, deve optar pela Escova Progressiva, que dura de dois a três meses.

Que produtos devem ser usados para lavar e tratar o cabelo alisado?

Após uma transformação química, os fios precisam de produtos que reponham os nutrientes perdidos no processo, como, por exemplo, ceramidas, aminoácidos e proteínas. Óleos vegetais e silicones também são de grande ajuda, pois fecham a cutícula, devolvendo o brilho e a maciez ao cabelo.

Posso colorir os fios antes de fazer escova progressiva ou devo alisar primeiro?

O mais indicado é fazer primeiro a coloração e depois a escova progressiva. Mas não há exatamente um consenso sobre o assunto, pois pode haver variações de uma marca para outra. "O produto usado para fazer Escova à Francesa forma uma película sobre o fio que, além de alisar, protege a coloração do desbotamento. Se for aplicada a tintura antes, corre-se o risco de os pigmentos não se fixarem bem", diz Gleno Márcio da Silva, da Glynett. Já a cabeleireira Neide Santos, do salão Neide\\'s Cabeleireiros, do Rio de Janeiro, que desenvolveu a Emulsão Alisante Progressiva à base de ácido fórmico, em parceria com o Laboratório Distrion, considera que o ideal é dar um intervalo de 15 a 20 dias entre a escova e a coloração.

Qual o tratamento adequado para pontas danificadas no cabelo afro relaxado com guanidina? Um aplique de microtranças ajuda a melhorar o aspecto dos fios?

Se o cabelo estiver muito danificado, é aconselhável suspender o relaxamento por um tempo. Nesse período, o cabeleireiro João Pedro, do Studio Afonjá, no Rio de Janeiro, sugere recuperar a fibra capilar com hidratações profissionais à base de ativos vegetais. Também vale a pena aparar as pontas que estão partidas. Segundo ele, o aplique de microtranças é uma boa opção para aguardar os fios crescerem, sem a necessidade de usar química.



Como funciona cada tipo de alisamento?
A Escova à Francesa, da Glynett, impermeabiliza a fibra capilar através de um composto de aminoácidos e emulsões de silicone que segura melhor as moléculas de proteínas na fibra capilar. O fio fica mais pesado e o volume é reduzido.
Como é progressiva e temporária, deve ser refeita até que se alcance o resultado desejado. A escova progressiva com tioglicolato de amônia ou hidróxido de sódio deixa o fio liso logo na primeira sessão, mas por ter concentrações menores desses ativos do que as fórmulas dos alisamentos tradicionais, costuma durar menos tempo: até dois meses, dependendo do grau de ondulação do cabelo.
Exige retoques constantes na raiz e hidratações periódicas. Para quem quer efeito liso duradouro, a saída é o alisamento tradicional (com ativos químicos como tioglicolato e hidróxido) ou a escova definitiva (também chamada escova japonesa ou alisamento japonês). Nesses métodos, a raiz crespa ou ondulada fica em evidência à medida que os fios crescem, assim, os retoques precisam acontecer a cada seis meses, em média. "Alisamento à base de amônia só é indicado em fios com a cor original ou com colorações em nuances escuras. Os platinados ou com mechas podem sofrer ressecamento ou desbotamento", alerta a cabeleireira Rosiane Eduardo, do salão carioca Fast.

Há alguma técnica para deixar o cabelo liso, mas com as pontas onduladas?
O relaxamento é a mais indicada nesse caso. O cabeleireiro deve escolher alisante suave ou médio e calcular o tempo de ação do produto para que o cabelo não fique totalmente liso, apenas ondulado ou com cachos definidos.

O que é menos prejudicial à fibra capilar: alisamento tradicional, escova progressiva ou alisamento japonês?
Qualquer tratamento pode danificar o cabelo em maior ou menor grau, o que não significa que não se deve fazê-lo. Para garantir a saúde dos fios, depois da transformação, é indispensável que eles recebam, com freqüência, hidratações e reestruturações para repor as substâncias perdidas durante o processo.

Quais cuidados devem ser tomados ao fazer alisamento em um cliente que vem de outro salão ou que alisou em casa?
O maior cuidado é descobrir se o alisante usado anteriormente será compatível com a marca usada em seu salão. Ou seja, se a fórmula de antes era à base de tioglicolato de amônia, não se deve usar, agora, um alisante à base de hidróxido de sódio ou de cálcio. "A base química precisa ser a mesma", alerta Joana Silva, técnica da Wella. Além disso, produtos de alisamento à base de metal ou de vegetais como o henê são incompatíveis com qualquer outra fórmula.

Em que situações os fios podem cair ou se partir durante um alisamento?
Tratamentos ou transformações no cabelo não são responsáveis pela queda dos fios, que acontece por questões internas: perda natural pela idade, problemas hormonais ou até mesmo porque o fio terminou seu ciclo de vida. Mas a química pode, sim, fazer com que se partam, quando feita de maneira inadequada. Por exemplo, quando a ação do produto alisante for forte demais para o tipo de cabelo. Um teste prévio em uma pequena mecha da nuca ajuda a decidir entre as fórmulas suave, normal ou forte.
Segundo Joana Silva, técnica da Wella, outro motivo freqüente para fios partidos é a forma de aplicação. O cabelo deve ser penteado e enluvado seguindo o sentido de seu crescimento, para frente ou para o lado, não para trás, explica. Ainda pode ser motivo do problema deixar o produto por mais tempo do que o indicado e não fazer uma neutralização correta.

Qual a função do neutralizante? Em quais tipos de alisamento ou escova progressiva ele é necessário?
O neutralizante é aplicado após o alisamento para impedir que o ativo químico continue agindo a ponto de promover a quebra dos fios. Ele religa as pontes de cistina, o que firma o novo formato do cabelo.

Que fórmulas alisantes são compatíveis entre si?
As que têm o mesmo princípio ativo. Alisamentos feitos com tioglicolato de amônia, mesmo que de marcas diferentes, são compatíveis entre si, assim como os de hidróxido de sódio. Tioglicolato e hidróxido de sódio, no entanto, não são compatíveis. Portanto, uma vez usando um desses ativos para alisar, não pode haver troca para o outro, até que todo o cabelo alisado seja cortado, sob riscos de haver quebra dos fios. A escova definitiva e a progressiva, por outro lado, são compatíveis com os alisamentos por química.
De qualquer forma, fazer um teste em uma mecha da nuca antes de submeter todo o cabelo à transformação é indispensável. Só ele garante ao cabeleireiro e à cliente que os riscos de problemas serão mínimos.

Quais são as opções de tratamento para diminuir o volume dos fios?

Para diminuir o volume e definir cachos, uma opção é o relaxamento. "A fórmula usada depende do tipo de cabelo", diz a cabeleireira Bianca Terra, do Werner Coiffeur, no Rio de Janeiro. A escova progressiva sem formol também pode reduzir o volume, assim como tratamentos contra ressecamento, condição que costuma deixar o fio rebelde e espigado.

O que é e como age o tioglicolato de amônia?
O tioglicolato é um princípio ativo que serve para amolecer a fibra capilar, promover a quebra das pontes de cistina e, com isso, deixar o fio maleável, para ser moldado como se desejar. "Se pentear, ele alisa. Se enrolar, ele forma cachos", ensina Joana Silva, técnica da Wella.

Fonte: /www2.uol.com.br

quinta-feira, 17 de julho de 2008

O QUE É AUTO-ESTIMA?



Auto-estima é a capacidade de sentirmos a vida, estando de bem com ela. É: a confiança em nosso modo de pensar e enfrentar os problemas e o direito de ser feliz precisamos ter a sensação de que somos merecedores de nossas necessidades, desejos e desfrutar os resultados de nossos esforços.

É preciso ter auto conhecimento e auto confiança.

Se um indivíduo se sente inseguro para enfrentar os problemas da vida, se não tem auto-confiança e confiança em suas próprias idéias, veremos nele uma auto-estima baixa. Ou, então, se falta ao indivíduo respeito por si mesmo, se ele se desvaloriza e não se sente merecedor de amor e respeito por parte dos outros, se acha que não tem direito à felicidade, se tem medo de expor suas idéias, vontades e necessidades, novamente veremos uma auto-estima baixa, não importa que outros atributos positivos ele venha a exibir.

Muitas vezes a auto-estima é confundida com egoísmo. Egoísta é aquela pessoa que quer o melhor, e quase sempre no sentido material, somente para si, não importando os outros. Quem possui uma auto-estima elevada, tem como conseqüência amor e estima aos outros. Ela quer o melhor para si, e para os outros também.

A auto-estima fortalece, dá energia e motivação.

Quanto maior a nossa auto-estima, mais queremos crescer, não necessariamente no sentido profissional ou financeiro, mas dentro daquilo que esperamos viver durante nossa vida... Como o emocional, criativo e espiritual. Quanto mais baixa nossa auto-estima, menos desejamos fazer e é provável que menos possamos realizar.

A pessoa com auto-estima saudável não se envergonha de dizer, "Eu estava errado".

É mais provável encontrarmos simpatia e compaixão, em pessoas com auto-estima elevada do que nas de baixa auto-estima; meu relacionamento com os outros tende a espelhar e refletir meu relacionamento comigo mesmo.

Algumas práticas para se construir uma auto-estima elevada:

1. A prática de viver conscientemente. Participar intensamente daquilo que fazemos enquanto o fazemos, buscar e estar totalmente aberto a qualquer informação, conhecimento que afirme nossos interesses, valores, metas e planos.

2. A prática da auto-aceitação. Conseguir ouvir críticas ou idéias diferentes sem nos tornarmos hostis ou competitivos.

3. A prática do senso de responsabilidade. Cada um de nós é responsável pela própria vida, pelo próprio bem-estar; que, se precisarmos da cooperação de outras pessoas para atingir nossos objetivos, devemos oferecer algo em troca; e que a pergunta não é "De quem é a culpa?", mas sempre "O que precisa ser feito?"

4. A prática da auto-afirmação. Respeitar os próprios valores e as outras pessoas.

5. A prática de viver objetivamente. Estabelecer nossos objetivos ou planos de curto e longo prazo

6. A prática da integridade pessoal. É dizer a verdade, honrar nossos compromissos e servir de exemplo dos valores que declaramos admirar; é tratar os outros de maneira justa.

7. Harmonize seu lar. Abra portas e janelas e comece uma limpeza. Faça isso em todas as dependências da casa ou escritório. Lembre-se, só fica o necessário!

8. Coma bem. Respeite os momentos das refeições. Evite falar sobre problemas. Acalme-se.

9. Preste atenção em você. Perceba os seus pensamentos os negativos e positivos. Você não é os seus pensamentos, mas eles têm uma enorme força sobre a sua vida. Se você tem mais pensamentos negativos, isto demonstra que você é uma pessoa negativa. Você pode mudar a sua vida, mudando a qualidade de seus pensamentos. Cultivando os positivos e os elevados. Quando o pensamento negativo lhe assaltar a mente, repita por sete vezes: "este pensamento não tem força sobre mim". Com o tempo você perceberá que no jardim existem rosas e espinhos e que a felicidade é!

Um presente para quem observa as rosas e a tristeza os espinhos.

10. Tenha objetivos. Materiais e espirituais. O verdadeiro Bem-Estar só é alcançado por meio dos objetivos espirituais. Procure se tornar uma pessoa mais paciente, bondosa, serena, confiável e amiga, além de humilde, aberta, sincera e simples e, principalmente, uma pessoa que tenha fé e confiança na vida.

11. Faça exercícios. Escolha um exercício que lhe agrade, caminhar, dançar e nadar são os mais recomendados. O mais difícil é tomar a decisão de começar.

12. Utilize seus talentos. Todos tem dons e talentos. Descubra quais são eles e comece a colocar em prática.

13. Medite, medite e medite. Além de terapêutica é a melhor ferramenta para o crescimento pessoal e espiritual. Cada um deve praticar da maneira que se sentir melhor. Procure um livro, um curso ou um mestre, pois vai fazer você encontrar a pessoa mais importante do mundo: você mesmo!

14. Aceite a vida. Pare já de reclamar. Volte sua mente para o que a vida oferece de bom. Ajude ao próximo, seja uma pessoa sincera, alegre e procure trabalhar com amor. Aceite sua casa e seus bens. Aceite as pessoas como elas são e, principalmente, se aceite como você é, seu corpo, sua personalidade. Mas aceitar não significa se acomodar com os problemas e dificuldades da vida. Devemos buscar a força para mudar o que podemos mudar, e a aceitação para o que não se pode ser diferente.

16. Visite a natureza. Pelo menos uma vez por mês, faça uma visita à mãe natureza. Pisar descalço na terra descarrega as energias negativas. E não se esqueça, você é parte da natureza e deve estar em harmonia com ela se quiser manter ou recuperar a qualidade de sua vida.

17. Converse com Deus. Deus está ao seu redor e, principalmente, dentro do seu coração. A melhor forma? Fica a seu critério, o importante é desejar que isso aconteça.

Sandra Marilize Mainardi
Fonte:www.ilv.com.br

Cabelo afro: cabelo super bonito



Fios muito crespos ficam ainda mais lindos se receberem o corte certo
O cuidado é redobrado. A recompensa também. Cabelos afro são belos por natureza e merecem atenção mais do que especial para se manterem lindos e saudáveis.

Tudo porque os fios muito crespos são naturalmente mais ressecados do que os outros, pois a oleosidade do couro cabeludo não consegue atingir toda a extensão do fio, cheio de curvas.

Isso sem contar os nós que se formam no dia-a-dia. Mas saiba que há como contornar esses problemas e muitos outros. Veja as dicas!

O pente que te penteia


Por serem mais frágeis, os cabelos muito crespos devem ser penteados apenas quando estiverem molhados ou úmidos, tudo para evitar a quebra do fio. Além disso, é super importante usar um pente de dentes largos sempre. Para modelar os fios depois de penteados, amasse-os com uma camiseta velha de algodão.

Hidratar é a regra

Como o cabelo afro é naturalmente seco, nada melhor do que partir para hidratações freqüentes. Procure hidratar seus fios a cada dois dias e você verá ótimos resultados em pouco tempo. E não dispense produtos reconstrutores quinzenalmente, especialmente se você tiver relaxamento, alisamento ou coloração.

Xampus e condicionadores para você

Opte por produtos específicos para o seu tipo de cabelo. Escolha aqueles altamente hidratantes e que contenham ativos poderosos, como aloe vera, pantenol, proteínas, colágeno, manteiga de karité, extratos de frutas, óleo de coco e cupuaçu. Atenção na hora de lavar: com o cabelo bem molhado, friccione o xampu no couro cabeludo com as pontas dos dedos em movimentos circulares e puxe a espuma para o comprimento dos fios sem esfregar, enxágüe bem e passe o condicionador como se estivesse subindo por uma corda, desembarace os fios com o pente e deixe o produto agir durante três minutos, enxaguando muito bem em seguida. E lembre-se de nunca torcer a toalha na cabeça na hora de secar os fios; basta pressioná-la para remover o excesso de água.

Leave-in não pode faltar

Penteie os fios, aplique um creme sem enxágüe bem hidratante, penteie novamente e amasse o cabelo com uma camiseta de algodão. Você terá cachinhos lindos, com volume controlado, brilhantes e com aspecto saudável. Se preferir, finalize com um pouco de silicone ou mousse. E nada de ficar passando a mão nos fios a toda hora. Se você fizer escova ou resolver usar o baby-liss, não se esqueça de passar um produto termoativado nos fios antes da empreitada.

Cuidado com as químicas

Toda química mexe com a estrutura do seu cabelo, naturalmente mais fragilizada, portanto atenção e cuidados triplicados! Antes de partir para a transformação, tenha certeza de que seu cabelo está bem hidratado e saudável. Se os seus fios afro passaram por relaxamento ou alisamento e você quer colori-los, não use oxidante com mais de 20 volumes e esqueça tinturas com amônia ou metais. Na dúvida, pergunte ao seu cabeleireiro se as químicas são compatíveis. Na hora da coloração, aposte em tons avermelhados ou acobreados enriquecidos com proteínas, vitaminas e silicones. E não importa a química: para não danificar ainda mais os fios, retoque apenas a raiz.

Cortes legais

Converse com seu cabeleireiro sobre as melhores opções. Ele levará em conta o tipo do seu fio e o seu rosto. Esqueça cortes retos, que acentuam o volume. Fios desfiados, em camadas suaves e em degradé deixam o visual leve e bonito.

Penteados bacanas

Lenços, faixas, presilhas, grampos com strass e flores artesanais podem compor looks lindos e versáteis. Abuse desses acessórios. Você pode optar por penteados presos, soltos ou semi-presos. Para realçar ainda mais seus cachos, passe um produto termoativado e trabalhe as mechas com mousse e baby-liss. Finalize o penteado com spray fixador e gloss.

Texto: Vanessa Cusumano
Fonte:www.elinda.com.br

Não caia nessa!


Não caia nessa!

É preciso cautela para não cair nas armadilhas que rondam o tema cabelo
Você sai em busca do melhor xampu para o seu cabelo e tudo o que escuta por aí é uma ladainha sem fim sobre os malefícios do sal?

A vendedora da perfumaria teima em virar o pote da máscara hidratante de cabeça para baixo, mostrando como o produto é bom?

Sua amiga jura de pés juntos que a touca térmica (aquela de ligar na tomada) é um perigo?

Saiba de uma vez por todas porque isso tudo não passa de um grande equívoco. Portanto, sinal vermelho ao ouvir:

“O melhor é optar por um xampu sem sal.”
Cuidado! Não existe xampu sem sal! Quando você lê “sem sal” na embalagem, saiba que o fabricante quis dizer que o produto não contem um tipo de sal apenas, o cloreto de sódio (também conhecido como sal de cozinha). Há outros tipos de sal - necessários para dar consistência ao xampu e limpar os fios - presentes na fórmula. A substância aparece sempre em baixa concentração e tem o uso liberado até mesmo para quem fez escova progressiva, uma vez que ela não é capaz de remover nenhuma química desse porte.

“Veja como este creme é consistente! Ele não cai do pote. É um ótimo produto.”
Cuidado! De nada adianta a vendedora virar o pote de cabeça para baixo alegando que o creme é bom só porque ele é firme. Se você já presenciou a cena, saiba que a consistência de um produto não é garantia de qualidade. A pouca viscosidade do creme pode até ajudar na hora da aplicação, mas ela nada tem a ver com as propriedades do produto. O que torna o creme consistente são os espessantes (usados unicamente para “engrossar” o creme) e não os princípios ativos. Você deve ficar atenta, portanto, aos ativos presentes na fórmula; são eles que fazem toda a diferença no resultado final. Leve em conta também a reputação do fabricante.

“A máscara hidratante deve ser usada depois do condicionador.”
Cuidado! O condicionador fecha a escama do fio e não deixa a máscara agir de forma eficaz se você usá-lo antes. Não tem como a máscara "entrar" nos fios se a cutícula estiver fechada. O xampu abre a cutícula capilar, a máscara penetra, age e dá uma leve selada nas escamas. O condicionador arremata, fechando o que a máscara não conseguiu. Cutícula bem fechada é garantia de cabelo hidratado e brilhante. Por isso, use seu xampu normalmente, aplique sua máscara e, depois de retirá-la dos fios, passe um pouco de condicionador. Deixe alguns minutos e enxágüe bem.

“O tonalizante é menos agressivo que a tintura.”
Cuidado! O tonalizante só agride menos se ele é de boa qualidade e se não contém metal na formulação, porém desde que você o aplique raramente. Cinco aplicações consecutivas de um bom tonalizante equivalem a uma de tintura.

“Touca térmica faz mal.”
Cuidado! A touca térmica (aquela de ligar na tomada) só não é recomendada se a embalagem da sua máscara não trouxer nenhuma informação sobre isso ou se o produto deixar explícito que a touca não deve ser utilizada. Alguns cremes necessitam de calor para fazerem efeito. Se houver a indicação de uso, a touca deve ser empregada para potencializar o creme. Caso contrário, o resultado não será o esperado. Mas há o jeito certo de usá-la: cubra o cabelo com uma touca de plástico e por cima coloque uma toalha úmida. Só então coloque a térmica e deixe-a ligada na tomada o tempo recomendado pelo fabricante da máscara.

“Xampus infantis são menos agressivos.”
Cuidado! Xampus infantis foram desenvolvidos para as crianças, não para os adultos. A formulação pode até ser menos agressiva, mas o pH pode causar problemas para nós. Muitos dizem que o pH desses produtos é neutro e, por isso, seria o ideal para adultos. Na verdade, o pH do xampu infantil é neutro em comparação com o pH do couro cabeludo da criança, que é naturalmente alto (em torno de 7,5) e diferente do nosso (em torno de 5). O pH do xampu infantil abre demais as escamas do cabelo adulto e isso pode ressecar muito os fios.

“Sempre depois da decoloração é preciso aplicar tintura ou tonalizante.”
Cuidado! Isso só vale se você precisar neutralizar algum tom indesejado ou se o seu cabelo não atingiu a cor esperada apenas com o descolorante. A idéia de que a coloração e o tonalizante repõem nutrientes retirados pela descoloração não é falsa, porém, como ambos são químicas, eles não deixam de agredir os fios. Se depois da descoloração os seus cabelos atingiram a cor que você queria, basta caprichar nas hidratações e na reconstrução para repor os nutrientes. Neste caso, não se preocupe em tonalizar os fios.

“Cortar o cabelo a cada dois meses acelera o crescimento.”
Cuidado! O cabelo cresce cerca de um centímetro por mês quer você corte ou não. O corte apenas elimina as pontas ressecadas e deixam o look mais leve e bonito. Para que seu cabelo cresça forte e saudável, o ideal é ter uma alimentação correta e usar bons produtos, além de hidratar os fios e reconstruí-los constantemente.

Texto: Vanessa Cusumano
Fonte:www.elinda.com.br

Cores: cada cabeça uma sentença


Cada estilo de vida, pele e cor de olho pedem tons de cabelos específicos

Loiro claro, loiro mel, marrom, vermelho, preto, acaju, chocolate, castanho. São tantas as cores e nuanças das tinturas atuais que não fica difícil se perder em meio a tantas ofertas.

É só arrancar o anúncio da revista em que aparece aquela modelo maravilhosa e levar ao salão para ganhar mechas lindas iguais às da moça, certo? Cuidado! Raramente isso funciona, já que cada pessoa tem um tom de pele e um estilo de vida próprios.

Antes de tudo, é preciso entender que certas cores de cabelo ficam ótimas em algumas pessoas e em outras não. “Para uma escolha correta, é preciso que o profissional fique atento ao tom de pele da pessoa e, principalmente, respeite a personalidade e o estilo de vida da cliente”, avisa a cabeleireira Solange Fernandes.

>> Descubra que tom de cabelo combina melhor com você

Ao contrário do que muita gente diz, a coloração permanente não estraga os cabelos. “Tenho clientes com 60 anos de idade que tingem os fios desde muito jovens e nunca tiveram problemas”, diz Solange. De fato, se a tintura for de boa qualidade e usada da maneira correta não há riscos. A cabeleireira explica que, hoje em dia, as colorações possuem em sua composição proteínas da seda, que dão brilho e maleabilidade aos fios.

Cor escolhida, fios tingidos, é preciso seguir alguns cuidados especiais, como usar xampus específicos para cabelos coloridos, fazer hidratações constantes e passar cremes sem enxágüe para proteger os fios.

De acordo com Solange, a cor consegue ficar bonita e sem desbotar - apenas com o retoque mensal da raiz - por, no máximo, três meses. Após este período, deve-se passar a tintura no cabelo todo novamente.

Com todas essas dicas, fica mais fácil acertar o tom que valoriza o seu tipo de pele, lembrando que, na hora de colorir os cabelos pela primeira vez, é preciso contar a ajuda e a experiência de um bom profissional.

Texto: Vanessa Cusumano
Fonte:www.elinda.com.br

Luzes, reflexo, balaiagem ou mechas?



Luzes, reflexo, balaiagem e mechas, todas essas técnicas iluminan o visual
Ok, você decidiu mudar o tom do seu cabelo. E como se já não fosse complicado chegar até aí, você ainda é obrigada a se deparar com mil e um nomes distintos que classificam os processos de coloração e descoloração.

Luzes, mechas, reflexos, balaiagem, mechas californianas? Qual deles escolher? O que cada um deles significa exatamente?

Em suma, os nomes são diferentes, mas o objetivo é o mesmo: deixar os fios mais luminosos. Confira as técnicas e escolha a sua.

Antes da mudança, no entanto, não se esqueça de conversar com seu cabeleireiro. Ele saberá exatamente o que combina com você.

Luzes

Se você deseja apenas iluminar o visual, quebrando a monotonia do tom uniforme dos seus fios, as luzes são uma boa pedida. Elas são feitas em mechas finas por toda a cabeça, que ganha fios descoloridos que se misturam à cor original do cabelo. Cerca de 50% dos fios são descoloridos neste processo, que produz mechas sutis, clareando o cabelo até três tons. Se os cabelos já estão muito claros depois de várias sessões, é possível fazer luzes negativas. Neste caso, são feitas mechas mais escuras, no tom natural dos fios.

Reflexo

Clareia de 80 a 90% dos fios e trabalha com cores claras mais fortes e definidas. A espessura das mechas dependerá da quantidade (volume) de cabelos. Em geral, elas são finas, espalhadas e bem marcadas. O método está em desuso atualmente porque, segundo alguns cabeleireiros, confere um visual artificial.

Mechas

Aqui acontece o clareamento (descoloração) ou a coloração de mechas largas. Normalmente, os tons escolhidos contrastam com a cor predominante dos fios. As mechas são bem marcadas, feitas em regiões estratégicas para acentuar o rosto.

Mechas ou luzes californianas


As mechas (ou luzes) californianas são mais escuras no comprimento e mais claras nas pontas, deixando a raiz livre de qualquer química. Elas dão mais luminosidade às extremidades e efeito de profundidade ao cabelo. São muito requisitadas no verão, pois dão aos fios o aspecto de queimados de sol. O resultado final são cabelos com até 7 tons de dourado, vindo em dégradé desde a raiz até as pontas, do tom mais escuro ao mais claro.

Balaiagem

É um processo tom sobre tom que modifica cerca de 20% dos fios. As mechas, concentradas no topo da cabeça, são normalmente grossas e de duas ou três cores, sempre próximas ao tom original dos fios. É indicada para quem quer começar a clarear os cabelos, mas tem receio de uma mudança muito radical. O resultado do processo passa a idéia de cabelos levemente iluminados pelo sol, pois os fios não ficam muito marcados.

Texto: Vanessa Cusumano
Fonte: www.elinda.com.br

Tudo o que você quer saber sobre coloração



Nem sempre é tarefa fácil chegar ao visual desejado


Elaboramos um tira-dúvidas completo sobre coloração. Leia com cuidado e aproveite as dicas. Se mesmo assim pintar aquela indecisão, procure ajuda profissional.

1. Cabelos tingidos precisam de cuidados especiais?
Para manter a cor e a integridade do fio você terá que usar xampu e condicionador específicos para cabelos coloridos. Além disso, não pode descuidar da hidratação, que deve ser feita semanalmente. Produtos sem enxágüe com filtro solar também são bem-vindos, uma vez que protegem os fios de agentes externos e evitam que a cor desbote rapidamente.

2. Coloração estraga mesmo os fios?
O segredo é usar uma tintura de boa qualidade e da maneira correta, como indica o fabricante. Atualmente as colorações possuem proteínas, vitaminas e queratina, que tratam o cabelo, conferindo brilho e maleabilidade. Em geral, as colorações mais suaves não contêm amônia e são conhecidas como tonalizantes (neste caso, o efeito é temporário e não clareiam os fios). Se o seu cabelo estiver muito ressecado, não é uma boa tingi-lo, pois ele pode se quebrar. Trate-o antes e só depois parta para a coloração.

3. Como remover da testa e das orelhas as manchas escuras de coloração?
O melhor é prevenir. Antes de colorir os fios, use produtos específicos para proteger a pele. Eles estão à venda em todas as perfumarias. Se mesmo assim a pele ficou manchada, saiba que existem no mercado líquidos especiais que removem as marcas de tinta. Em último caso, tente passar vaselina líquida ou óleo de amêndoas.

4. Cores claras desbotam menos?
Como os tons loiros têm menos pigmentos, eles desbotam menos que os escuros e avermelhados. Um tonalizante pode ajudar a reavivar a cor.

5. Lavar ou não os cabelos antes de tingi-los?
O melhor é lavá-los dois dias antes da coloração, pois a gordura produzida pelas glândulas sebáceas protege o couro cabeludo da química. Se o cabelo estiver muito sujo, no entanto, pode prejudicar o resultado final. Se houver necessidade, lave-os delicadamente com um xampu suave sem esfregar o couro cabeludo.

6. O que fazer se a tinta cair nos olhos durante o processo de coloração?
Lave muito bem o local com água, soro fisiológico ou água boricada. Fuja de colírios e procure um médico se houver irritação.

7. O que agride menos: luzes, tintura ou mechas?

Tudo o que necessita de descolorante para fazer efeito danifica mais, ou seja, luzes e mechas prejudicam mais o fio que a coloração. O descolorante retira a pigmentação dos fios e, com ele, alguns nutrientes básicos para a integridade do cabelo. Neste caso, é importante fazer uma boa reconstrução depois para repor o que foi perdido.

8. Quando devo passar a tintura de novo para que a cor fique bonita?
Se a coloração for clara, aplique a tintura apenas na raiz a cada 20 dias. Se for escura, de 30 em 30 dias. A cor consegue ficar bonita e sem desbotar, apenas com retoque de raiz, por cerca de três meses (cores claras) ou um mês e meio (cores quentes e escuras). Após este período, você vai precisar aplicar a coloração no cabelo inteiro novamente. Siga as instruções dos fabricantes.

9. Minhas mechas ficaram alaranjadas. O que eu faço?
Aplique uma coloração com pigmento cinza com emulsão ou água oxigenada de baixa volumagem para neutralizar o laranja. Outra alternativa é descolorir ainda mais os fios, uma vez que, durante o processo, os cabelos escuros passam por várias cores, que vão do vermelho, laranja e chegam no amarelo.

10. O que fazer se você clareou os fios e resolveu voltar ao castanho escuro?
É melhor pedir ajuda profissional, pois só o cabeleireiro saberá o tom exato que você deve passar nos fios, levando em conta a cor atual do seu cabelo.

11. Piscina combina com cabelo tingido?
Em contato com o cloro, os cabelos loiros ficam esverdeados e os escuros, avermelhados. Isso acontece porque fios tingidos ficam porosos e acabam absorvendo a substância da água. A dica é usar protetores antes de cair na piscina e lavar o cabelo com xampu que elimine os resíduos de cloro.

12. Não gostei nadinha da cor que passei. Posso aplicar uma tinta mais clara por cima?
Tinta não clareia tinta. Para conseguir clarear fios escurecidos por tintura é preciso fazer decapagem (retirar dos fios todos os pigmentos da tinta que você usou) para só depois reaplicar uma cor mais clara. Saiba que a decapagem resseca os fios.

13. Por que a cor do meu cabelo nunca fica igual àquela que aparece na embalagem da coloração?

O resultado final sempre vai depender da cor atual dos seus fios, se há mais químicas neles e do seu histórico de coloração. Em geral, a cor da embalagem é apenas referência e se aplica para quem possui cabelo claro, desde que não tenha resíduo de coloração anterior. Na dúvida, consulte um especialista.

14. Depois de tingir os cabelos duas vezes em um curto espaço de tempo, os fios ficaram ressecados e quebradiços. O que fazer?

Faça reconstruções e hidratações periódicas. Produtos à base de queratina também são bem-vindos. Fique longe de químicas até recuperar os fios.

15. Fiz reflexo e as mechas ficaram esverdeadas. O que aconteceu?
Fios muito amarelos que recebem tons acinzentados ou mate podem ficar esverdeados ou azulados em função da sobreposição de cores.

16. O que pode acontecer seu eu deixar nos fios a coloração permanente ou semipermanente mais tempo que o indicado pelo fabricante?
Problemas. A permanente pode irritar o couro cabeludo e causar queda de cabelo e a temporária pode deixar seu cabelo com uma cor indesejada. No primeiro caso, a tintura pára de agir depois de um certo tempo, mas satura os fios. No segundo, ela continua agindo.

17. É verdade que o cabelo que passou por processos químicos não pode ser tingido?
Se você fez permanente ou alisamento não deve tingi-lo no mesmo dia. O ideal é dar um tempo para os fios se recuperarem (em média 30 dias) e fazer hidratações freqüentes neste período. Mesmo assim, alguns cabelos ressentem processos químicos sobrepostos.

18. Para clarear devo usar só a tintura ou passar descolorante antes?
Depende. Seu cabelo é escuro? Neste caso é preciso fazer uma descoloração antes de aplicar a tinta. Se os seus fios são claros, é possível clareá-los ainda mais apenas com a tintura, desde que eles não tenham sido pintados antes, pois tinta não clareia tinta.

19. Por que não consigo cobrir meus cabelos brancos com tonalizante?
Porque os tonalizantes não possuem amônia. É ela quem abre as cutículas dos fios para que os pigmentos sejam depositados.

20. Pintei e me arrependi. Detestei o resultado. O que eu faço?
Tenha calma e procure um bom salão. Pode ser pior tentar consertar o estrago sozinha. Saiba que a tintura só sai com decapagem (remoção dos pigmentos) ou cortando o cabelo. Se você acha que o cabelo ficou claro demais, aplicar um marrom pode não ser a melhor solução, pois há inúmeras tonalidades no mercado e você corre o risco de ganhar uma terceira cor, que pode não ser do seu agrado.

21. Posso tingir os cabelos se estiver grávida?
Converse com seu médico. Provavelmente ele dirá para você evitar a tintura durante este período, pois algumas mulheres podem desenvolver sensibilidade ao produto. Em geral não há risco para o bebê, uma vez que as novas colorações não levam metais pesados na sua composição.

Texto: Vanessa Cusumano
Fonte:www.elinda.com.br

Como pintar os cabelos em casa



Pintar os cabelos em casa é facil, mas exige atenção e força de vontade

Se você gosta de se virar sozinha ou não tem dinheiro para ir ao salão tingir seus fios, saiba que pintá-los em casa não é nenhum bicho de sete cabeças não.

Basta tomar alguns cuidados e seguir nosso passo-a-passo. Mas antes, separe os seguintes materiais:

• Kit de coloração (ou bisnaga de tintura e água oxigenada)
• Pincel para coloração
• Luvas
• Cumbuca de plástico
• Toalha
• Pente fino com o cabo estreito
• Presilhas
• Creme protetor de pele
• Capa protetora de roupa

A preparação começa dois dias antes de aplicar a tintura, quando você deve lavar os fios e não passar nenhum produto sem enxágüe. Fuja do xampu até partir para a coloração, pois a gordura produzida pelas glândulas sebáceas vai proteger seu couro cabeludo da química. Só lave o cabelo com xampu dois dias depois da tintura para que a coloração se fixe nos fios. A partir daí, capriche nas hidratações e reconstruções.

Um dia antes de tingir, faça o teste de alergia. Ele é fundamental na primeira vez em que você usa determinada marca de produto. Coloque três gotas da tintura na cumbuca de plástico e seis gotas de água oxigenada. Misture tudo, passe atrás da orelha e espere 40 minutos. Lave o local e aguarde 24 horas. Se coçar, arder ou ficar vermelho, desista.

Lembre-se

• Tinta não clareia tinta, portanto, na dúvida, escolha uma coloração mais clara do que a desejada. Deste modo, fica fácil escurecer os fios se o resultado final não agradar.
• Quanto mais você lavar o cabelo, mais rápido ele vai desbotar. Use xampu anti-resíduos com cautela, pois ele contribui para que a tintura desbote mais rapidamente.
• Se você fez permanente ou alisamento, espere 30 dias para tingir o cabelo e faça hidratações neste período.
• Atenção na escolha da água oxigenada: 10 vol. não abre nenhum tom e apenas fixa a coloração ou neutraliza tons indesejados, 20 vol. abre um tom e fixa a cor, 30 vol. abre dois tons e 40 vol. abre até três tons.
• Se a pele ficou manchada, recorra a líquidos especiais que removem marcas de tinta. Eles estão à venda em perfumarias.
• O cabelo deve estar totalmente seco e desembaraçado para receber a tintura, que não deve ser aplicada na sobrancelha.

Passo-a-passo 1. Comece misturado a água oxigenada à coloração seguindo as especificações do fabricante. Respeite as proporções indicadas caso você esteja usando a dupla comprada separadamente: bisnaga de coloração e água oxigenada. O resultado final depende disso. Coloque a coloração na cumbuca e misture-a com o pincel, em seguida adicione a água oxigenada e mexa bem os ingredientes até obter uma mistura homogênea. Se você comprou o kit de coloração, as partes já estão corretas; basta misturá-las no aplicador que vem na caixinha.

2. Antes de começar a aplicação da coloração, passe o produto específico para proteger a pele, especialmente na testa, na nuca e nas orelhas.

3. Com a ajuda do pente, divida o cabelo em mechas largas para facilitar a aplicação do produto e obter resultado uniforme. Prenda as mechas com presilhas.

4. Coloque as luvas e a capa protetora. Para evitar dissabores, use uma camiseta velha por baixo da capa.

5. Comece a aplicação:

Se você nunca tingiu os cabelos antes: inicie a aplicação pelo comprimento e pelas pontas em direção à raiz. Comece pelos fios perto da nuca.

Se você pretende retocar a raiz: coloque a tintura diretamente na raiz. Comece pelos fios perto da nuca.

Se você deseja trocar de cor: aplique nas pontas em direção à raiz. Se existir raiz natural, deixe-a para depois de um tempo de pausa de 20 minutos, contados a partir do término da aplicação. Só então passe a tinta na parte crescida e natural, e aguarde 15 minutos.

6. Após a aplicação da tintura, massageie o cabelo delicadamente e com cuidado para não retirar o produto. Para evitar manchas, não prenda o cabelo, não penteie e não use toucas. Espere a coloração agir de acordo com o tempo estipulado pelo fabricante (contado a partir do término da aplicação). Não fique com a tintura nem mais e nem menos tempo do que o indicado. O resultado pode ser desastroso.

7. Assim que o tempo de pausa chegar ao fim, retire o produto com água até remover tudo. Não use xampu. Aplique alguma máscara de hidratação, deixe alguns minutos e enxágüe.

Texto: Vanessa Cusumano
Fonte:www.elinda.com.br/

Super ruiva



Cuidados certeiros são capazes de garantir um look ruivo de arrasar


Discreta? Descolada? Seja qual for a sua personalidade, bateu aquela vontade de acender o visual? Aposte nos vermelhos!

Mas saiba antes o que fazer para manter a cor sempre vibrante e os cabelos saudáveis. Dá trabalho, mas se você tiver disciplina, o resultado é incrível!

Mas pense bem: as tonalidades vermelhas são difíceis de serem retiradas dos fios e podem requerer até seis meses de empenho até a total remoção dos pigmentos. Pensou? Então confira as dicas!

O seu vermelho A idéia é que o seu vermelho não brigue com o seu tom de pele. Por isso, fique de olho: quanto mais clara for sua pele, mais linda você vai ficar com as cores mais quentes, como vermelhos vivos e acobreados. Portanto, peles mais escuras ou amareladas combinam com vermelhos mais fechados, como o acaju e o borgonha. Em suma, a regra geral é: quanto mais claro for o seu cabelo natural, mais clara e brilhante será a cor de vermelho que combinará com você. Na dúvida, coloque a mechinha de cabelo do catálogo de cores ao lado do seu rosto e analise bem a combinação.

Virando ruiva O ideal é que na primeira vez você pinte seus fios no salão para evitar que seu cabelo fique manchado. Se você já tiver prática, aplique a coloração em casa, tomando sempre os cuidados básicos. Se o seu desejo é conseguir um efeito sutil, com reflexos avermelhados, parta para um tonalizante. Mas leve em consideração que ele vai durar cerca de 20 lavagens. Vale ainda fazer algumas luzes avermelhadas no salão. Para um efeito mais duradouro e vibrante, opte pela coloração. Neste caso, é importante escolher uma tintura de boa qualidade, que dura mais e dá brilho ao cabelo. Mas atenção: se o seu cabelo for muito escuro ou você ainda não sabe muito bem o que quer, não hesite em procurar ajuda profissional na hora da transformação para evitar dissabores. A dica também vale se você tem outras químicas nos fios, como relaxamento.

Aposte nelas: Majirouge, da L'Oreal; Igora Royal, da Schwarzkopf; Evolution, da Alfaparf; Color Perfect, da Wella.

Mantenha a cor acesa Dez entre dez novas ruivas reclamam que a cor desbota muito rápido. Infelizmente, isso acontece porque os pigmentos vermelhos fogem rapidamente da fibra capilar em função das lavagens e do sol. O jeito é usar produtos que ajudam a manter a cor e reavivá-la com a ajuda do tonalizante a cada 30 dias mais ou menos (o produto sai depois de algumas lavagens). Por não conter amônia como a tintura, o tonalizante não agride tanto o cabelo, afinal, para recuperar a cor, você terá que colorir sempre toda a extensão do fio e não apenas a raiz. Não se esqueça de hidratar seus fios a cada dois dias e de fazer uma reconstrução semanal.

Aposte neles: Richesse, da L´Oréal; Color Touch, da Wella; Keraton, da Kert.

Amigos das ruivas É fundamental usar produtos voltados às madeixas coloridas para ajudar a manter seu tom vermelho sempre glamouroso. Não dispense também um bom leave-in com filtro solar. Atualmente há no mercado produtos específicos para as ruivas. Eles intensificam a cor e realçam o brilho.

Aposte neles: linha Fixação da Cor, da Surya Henna; linha Radiant Red, John Frieda; máscara Lifetex Color Reflex Mask, Wella; Chroma Reflect, Kérastase; High Color Complexo Intensificador da Cor -Vermelhos, Amend; Red Enhancing Treatment, Keune; linha Healing Color Care, L'Anza; linha Elsève Color Vive, da L´Oréal; linha Color Extend, da Redken; linha Vitamino Color, da L´Oréal; linha Biolage Colorthérapie, da Matrix; hidratante de frutas vermelhas Red Intensiv Color Fashion, da Vita Derm.

Texto: Vanessa Cusumano

Luzes: faça você mesma


Cabelo / Químicas e coloração

Fazer luzes em casa é possível e exige cuidados
Antes de qualquer coisa, é fundamental se munir de uma boa dose de sinceridade e responder à seguinte pergunta: seu cabelo está saudável?

Se a resposta for negativa, faça um intensivão de hidratação e reconstrução antes de partir para a empreitada sozinha. Apenas fios saudáveis sobrevivem a uma sessão de luzes.

Se você respondeu “sim”, arme-se de paciência e tenha em mente que se algo der errado não será o fim do mundo. Há sempre um bom profissional por perto para nos socorrer.

E atenção: se você já tem alguma química nos fios, não faça luzes em casa. Neste caso, procure um bom salão.

Saiba que há várias formas para se fazer luzes. A seguir, você aprende o passo-a-passo da técnica considerada mais fácil e segura de se fazer em casa, sozinha.

Você vai precisar de:


• pó descolorante
• água oxigenada: a volumagem depende do grau de descoloração que você deseja atingir e pode ser de 20, 30 ou 40 vol. (o oxidante de 20 vol. clareia um tom, o oxidante de 30 vol. abre dois tons e o oxidante de 40 vol. abre três tons)
• touca para luzes: pode ser de plástico ou de silicone (as primeiras são menos duráveis e as últimas possuem saliências que ajudam a localizar os furos da parte de trás com os dedos na hora de puxar os fios)
• agulha de crochê: quanto mais fina a agulha, menores serão as mechas de cabelo descoloridas e mais natural será o resultado das luzes
• pincel de coloração
• cumbuca de plástico

Como fazer:


1. Se o seu cabelo não é naturalmente liso, desembarace os fios, faça uma escova e use a chapinha para alisá-los. Isso vai facilitar na hora de puxar as mechas na touca, evitando que elas embaracem e, com isso, causem dor. Certifique-se de que seus fios estão bem secos.

2. Com cuidado para não rasgar a touca, faça furinhos nos locais indicados de acordo com a quantidade de mechas que você deseja. Procure distribuir bem os furos. Se a sua touca for de silicone, passe um pouquinho de talco nos furinhos para ajudar na hora de puxar os fios.

3. Penteie os cabelos como de costume (você pode dividi-los ao meio ou pentear tudo para trás). Coloque a touca de maneira bem firme. Quanto mais “colada” na cabeça, mais perto da raiz o descolorante chega. Se precisar, prenda a touca de silicone com alguns grampos (use os furinhos dela) ou passe uma fita adesiva em volta da cabeça para fixar a touca de plástico.

4. Vá para frente do espelho (será mais fácil se ele permitir que você visualize também a parte de trás da sua cabeça). Com a ajuda da agulha, vá puxando as mechinhas calmamente. Comece pelo topo da cabeça, na parte da frente. É preciso ter paciência nessa hora, ainda mais se você quiser pegar mechas fininhas. Procure distribuir de maneira uniforme as mechas. Depois de puxar, penteie as mechas e as divida em quatro partes.

5. Prepare o pó descolorante na cumbuca, colocando duas medidas de pó para uma de água oxigenada. O ideal é que a mistura fique consistente (nem muito líquida nem muito dura).

6. Faça um teste em uma pequena mechinha do cabelo antes de passar a mistura em todos os fios puxados. Isso é importante para você descobrir se é alérgica e saber quanto tempo o descolorante deve ficar nos fios para você obter o resultado desejado. Passe a mistura com o pincel e fique observando o processo de descoloração até chegar ao tom desejado. Marque esse tempo. Lembrando de nunca exceder 45 minutos.

7. Passe o descolorante em cada uma das quatro partes do cabelo, deixando a mecha-teste de fora. Não se atenha muito tempo a cada uma das partes. Procure ser rápida, pois o descolorante começa a agir assim que entra em contato com o seu cabelo. Espalhe bem o descolorante. Certifique-se de que a cobertura da mistura ficou uniforme sobre os fios.

8. Vá verificando o grau de clareamento do seu cabelo constantemente. Deixe a mistura agir ao longo do tempo do seu teste ou até atingir o tom desejado. Se você não conseguiu o tom que queria em até 45 minutos, mesmo assim, remova a mistura (neste caso, será necessária uma nova descoloração posteriormente ou você terá que aplicar uma coloração ou um tonalizante em seguida).

9. Sem tirar a touca, remova totalmente a mistura com água morna e lave os fios com xampu. Retire a touca, lave com xampu novamente e aplique uma máscara reconstrutora (ou uma bem hidratante). Deixe o tempo indicado, enxágüe, passe um pouco de condicionador, deixe três minutos e retire. Finalize com um leave-in hidratante.

10. Hidrate seus fios a cada dois dias e faça uma reconstrução semanal. Esses cuidados são essenciais para repor os nutrientes retirados pela descoloração.

Texto: Vanessa Cusumano
Fonte: www.elinda.com.br

Caspa


Cuidados com o couro cabeludo

Frio, vento, tempo seco e alta concentração de poluentes no ar contribuem para o aparecimento de doenças no couro cabeludo. São por estes motivos que os cuidados com os cabelos devem ser redobrados durante o inverno.

A seborréia é um dos problemas que atinge o couro cabeludo e se torna mais propício nesta época do ano. Ela pode se manifestar de duas maneiras: como uma leve descamação seca e fina, originando a caspa, ou como a dermatite seborreica, que são inflamações no couro cabeludo.

Os dois tipos são ocasionados pelo excesso de produção de uma gordura especial que fica na superfície de nossa pele, o chamado sebo, importante na proteção da pele contra microorganismos, agentes nocivos, físicos e químicos.

É por esta razão que os cabelos oleosos são mais propensos ao aparecimento de caspas.

De acordo com a dermatologista Flávia Addor, o problema é mais freqüente no inverno devido aos banhos quentes que a maioria das pessoas tem costume de tomar nos dias frios. "Isso estimula a produção do sebo e piora a descamação do couro cabeludo", afirma. Além dos fatores externos, Flávia explica que existem pessoas com uma pré-disposição genética, o que dificulta a existência de métodos preventivos.

A dermatologista afirma ainda, que a caspa não é uma doença propriamente dita e seu tratamento e controle são bastante simples, com uso de xampus e loções específicas. No entanto, seu aparecimento pode causar coceira e gerar constrangimento às pessoas.

Já a coceira intensa, um fluxo de descamação maior e vermelhidão no couro cabeludo são características da dermatite seborreica. Nestes casos, o tratamento varia de acordo com o quadro clínico, mas as últimas alternativas são medicamentos como antiinflamatório ou antifungo.

Flávia ressalta que alguns pacientes acreditam que uma alimentação gordurosa pode ocasionar ou aumentar a descamação do couro cabeludo. Porém, ela afirma que isso não passa de um mito.

A dermatologista dá algumas dicas para manter a saúde do couro cabeludo, também no inverno:

- Lave os cabelos em água morna, sempre que sentir necessidade. A seborréia não vai piorar com a freqüência das lavagens;

- Seque os cabelos com secador em temperatura média, mantendo o equipamento a uma distância mínima de 15 cm ;

- Lave pentes e escovas periodicamente para remover microorganismos;

- Lave os cabelos com produtos específicos para o controle da caspa (xampus, condicionadores), loções anticaspas (cosméticas ou medicamentosas, já que alguns ingredientes, de acordo com a concentração, somente podem ser utilizados em medicamentos).

Fonte: www.minhavida.com.br

Evite a queda de cabelos



Confira as dicas para identificar e tratar a causa corretamente
Os meus cabelos estão caindo!


Um dia você acorda e vê o seu travesseiro cheio de fios. Quando os lava, então, a derrubada é maior. Aí bate o desespero: vou ficar careca? O que devo fazer?

No primeiro momento, há a necessidade de procurar informações sobre a alopecia ou queda de cabelo, como é mais conhecida, com um cabeleireiro de confiança e um dermatologista.

Porém, ouvir os dois profissionais é importante, pois verifica se o fator é simples (como a alergia a cosméticos), ou mais grave (como manifestações fisiológicas que ocorrem em indivíduos geneticamente predisposto.

Um dos principais fatores para a alopecia é a hereditariedade que afeta, em particular, o público masculino. Nos casos das cabeleiras femininas, o problema se dá por motivos diversos como o stress capilar, causado pelo cansaço, nervosismo, problemas psíquicos.

Outro tipo de queda bem conhecida é o corte químico, causada por procedimentos como pinturas, permanentes e alisamentos feitos de maneira equivocada ou com produtos sem regulamentação.

A alopecia, em geral, não é só um desconforto, mas uma perda da auto-estima o que pode levar à depressão.

Em homens, a doença é mais tolerada, mas não podemos confundir o que é uma perda natural de fios com o que é incomum. Existem casos de combate à calvície com resultados excelentes.

Às vezes, a má alimentação e mudanças bruscas do metabolismo, como a gravidez, lactação, cirurgias etc, podem ser uma dos fatores que causam perdas de proteínas, afetando o cabelo. A denominada sintomática - por fatores contagiosos como, por exemplo, a famosa micose que é adquirida em praias, piscinas ou por pessoas infectadas, também leva à calvície. Neste caso, o tratamento é á base de medicamentos.

É interessante procurar um dermatologista que fará um diagnóstico completo com exames mais detalhados. Com os resultados em mãos, o médico indicará um tratamento simples, como shampoos, aos mais complexos, com medicamentos via oral.

Quando a queda é excessiva, deve-se evitar o uso de produtos químicos nas madeixas e observar se o problema é geral ou por regiões do couro cabeludo. Mesmo o cabelo caindo, o corte nunca deve ser dispensado, pois o mesmo renova as cutículas e fortalece os fios.

Fonte:www.minhavida.com.br

Abandone os 8 hábitos que mais destroem o seu cabelo



Os pecados incluem o mau uso de produtos e até falta de cuidado ao pentear
Difícil encontrar uma mulher feliz com o próprio cabelo. Pontas duplas, raiz muito oleosa, fios quebradiços, corte com muito volume, caimento sem graça... a lista de reclamações é enorme e, não raro, nunca zera. Mas nada de ficar culpando a genética pela sua insatisfação. (um guia com todas as dicas para cuidar dos seus cabelos).

Em geral, as clientes sabem como cuidar do cabelo. Mas, no dia-a-dia, atropelam todas as recomendações e depois sofrem com os efeitos do desleixo , afirma o cabeleireiro Paulo César Schettini, proprietário do Salão Self, em São Paulo, e especializado em cuidar da aparênciade celebridades como Maria Fernanda Candido , Karina Bacchi e muitas modelos que participam dos desfiles da SP Fashion Week.

A pedido do Minha Vida, ele e a gerente de P&D Hair Care da Bertin Higiene e Beleza, Luciene Bastos, revelam quais são os hábitos que mais destroem os fios e ensinam como você faz para se livrar deles até, finalmente, travar um acordo de paz com a escova.

1. Deixar condicionador no cabelo: principalmente quem pena com os fios secos, é tentada a cada banho. O cabelo fica macio e escorre pelo pente debaixo do chuveiro, e você sonha em manter aquela sensação pelo dia todo. Mas não pense que deixar o creme no cabelo é melhor maneira de conseguir isso. Os condicionadores abrem as escamas dos fios. Assim conseguem penetrar e tratá-los , afirma Paulo César. Mas deixar o produto depois do banho é péssimo, porque as escamas não se fecham, o cabelo fica elástico e acaba se quebrando à toa .

2. Usar máscara hidratante na praia: não adianta inventar. Para tomar sol, o ideal é passar um creme sem enxágüe com proteção solar. E nada mais. Muitas mulheres acham que, usando uma máscara mais poderosa, estão protegendo o cabelo , diz o cabeleireiro do Self. Na verdade, elas estão queimando os fios. Esses produtos, além de não formarem uma capa contra os raios ultravioletas, têm um tempo de permanência. Excedê-lo enfraquece os cabelos.

3. Prender os fios molhados:
fazer isso uma vez ou outra não tem problema nenhum. Mas achar que vai domar o volume dos fios dando um bom nó em volta deles é assinar um atestado de raiva permanente. Manter o couro cabeludo molhado por muito tempo faz juntar fungos e criar caspa, além de enfraquecer a raiz e provocar a queda , afirma Paulo. Usar um leave-in e evitar o vento enquanto a cabeça não seca são medidas suficientes para evitar o cabelo armado demais.

4. Passar chapinha no cabelo molhado: este é um daqueles pecados sem misericórdia nenhuma. A gravidade é tanta que dá para sentir os efeitos na mesma hora. Os fios são profundamente agredidos. Além de queimados, eles se quebram. O único jeito de consertar é cortando , alerta Paulo Schettini. Antes de usar a prancha, seque bem os cabelos. Nem úmidos eles podem estar.

5. Ficar mais de três meses sem cortar: para muita gente, isso é papo de cabeleireiro. Mas não é, fique certa. A não ser que seu cabelo demore muito para crescer, este é o tempo médio de duração de um corte. Passada essa fase, as pontas começam a abrir e os fios quebram-se com facilidade. Os arrepiados aumentam o volume e os fios fracos começam a cair , explica a gerente de P&D Hair Care.

6. Desembaraçar com escovas maleáveis demais: as cerdas moles são de manuseio mais difícil, além de quebrarem os fios. Por isso, os especialistas recomendam um pente com dentes bem largos e firmes ou uma escova do tipo raquete, mais resistente.

7. Esquecer as hidratações: a hidratação tema a capacidade de dar leveza e nutrir os cabelos, recuperando a maciez, o brilho e o aspecto saudável deles. Em função do grande uso dos produtos químicos (tinturas, alisamentos, relaxamento e etc.), os fios tendem a ficar danificados. A função da hidratação é de reverter tudo isso , afirma Luciene Bastos. Mesmo os fios oleosos merecem hidratações, feitas com produtos específicos.

8. Fazer mais de duas químicas: você precisa escolher os tratamentos que quer aplicar. Relaxamento, coloração, progressiva, luzes... tudo isso junto deixa os fios porosos e fracos demais, arrebentando todas as pontas. Escolha dois tratamentos, no máximo, e faça hidratações mensais, no mínimo , indica Paulo.

Fonte: www.minhavida.com.br

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Barriga sarada com prática de ioga


É inevitável não notar aquele indesejado pneuzinho toda vez que a gente fica na frente do espelho. A vontade é acabar com o dito cujo de qualquer forma e o mais rápido possível. E quando se busca um abdômen definido, as mulheres recorrem logo ao abdominal, à ginástica localizada, aos cremes milagrosos e até mesmo aos tratamentos em clínica de estética. Tanto esforço nem sempre vale a pena. Mas para quem quer garantia de uma barriga sarada, uma alternativa é trocar as infinitas horas suando a camisa pela prática da ioga.Poucos acreditam, mas a professora de Educação Física e instrutora da prática Samara Queiroz confirma: "fazer ioga fortalece - e muito - a região abdominal".

Conhecida por proporcionar um equilíbrio físico e mental, essa técnica oriental é mais do que uma simples meditação. "Ela ajuda a melhorar a respiração, trabalhando diversas posturas e exigindo um esforço concentrado em um músculo especial: o abdômen", explica.
Segundo a professora, trabalhar a região da barriga é fundamental para auxiliar na nossa sustentação. Por isso, em uma determinada postura, se o músculo abdominal não estiver enrijecido, a coluna pode dobrar mais do que o corpo permite, o que prejudica a coluna e toda a estrutura óssea.Dominar o corpo através da mente é o segredo da ioga. Para manter o equilíbrio e conseguir permanecer por um bom tempo na mesma posição, exige-se uma contração incessante da barriga. É aí que começa o trabalho de enrijecimento muscular rumo à barriga sarada.Embora as técnicas sejam bem diferentes, os resultados da ioga e das aulas de abdominais são bem parecidos. De acordo com Samara, a única divergência é quando se pratica musculação, porque esses exercícios envolvem cargas, exigem mais do corpo e trazem um retorno diferenciado da ioga, que trabalha muito a resistência.Mais do que buscar um alívio para o stress por meio da meditação, o motivo da procura pelas aulas de ioga vem sendo cada vez mais o fortalecimento dos músculos. Se a meta é não medir esforços para ter uma barriga sarada e de fazer inveja para qualquer mulher, Samara aconselha "pegar firme" na ioga e praticar, no mínimo, três vezes por semana."No primeiro mês em que se pratica o exercício já é possível sentir uma melhora na qualidade de vida", afirma. Mas quando o intuito é conseguir uma barriga enxuta e firme, a especialista assegura que os resultados já podem ser notados três meses depois de começar a praticar a técnica.

Fonte:www.minhavida.com.br

Três xícaras de chá verde por dia protegem a saúde do coração



Além de emagrecer, a bebida torna os vasos sangüíneos mais flexíveis e resistentes
Linha pontilhada
Quem já toma o chá verde para emagrecer agora tem um motivo a mais incluí-lo na dieta: ele é um grande aliado na proteção à saúde cardiovascular, mantendo as artérias flexíveis e, portanto, suavizando os impactos das constantes mudanças da pressão arterial. A conclusão foi apresentada num estudo que acaba de ser publicado por especialistas da Escola Médica de Atenas, na Grécia.

De acordo com os cientistas o chá verde tem influência sobre o revestimento dos vasos sanguíneos, ajudando as células a secretar substâncias necessárias para relaxar os vasos, permitindo que fluam mais livremente. Para sentir os efeitos, é necessário consumir ao menos três xícaras por dia, segundo os pesquisadores.

Os flavonóides, encontrados nesse tipo de chá, funcionam como antioxidantes e ajudam a prevenir a inflamação dos tecidos. Estas substâncias também podem proteger contra a formação de coágulos, que são as principais causas de ataques do coração. Os cientistas também notaram que, após transformar o consumo de chá verde em hábito, a camada interna dos vasos sangüíneos (endotélio) também foi fortalecida.

Mais benefícios do chá verde


Além de proteger o coração, os flavonóides bloqueiam as alterações celulares que dão origem aos tumores , diz a nutricionista funcional Camila Duran, da Clínica Pedrinola & Rascovski. E pode mesmo contar com ele na luta contra os quilos a mais.

O chá verde tem a propriedade de acelerar o metabolismo, favorecendo a queima de gorduras , garante a nutricionista Daniela Jobst, especialista do MinhaVida. A recomendação diária, nesse caso, varia de cinco xícaras a um litro por três meses seguidos, no mínimo. A temperatura do chá fica a seu critério.

Só tome cuidado com os exageros. A nutricionista Camila Duran ressalta que pessoas sensíveis à cafeína podem sofrer com dores de cabeça, irritação e mau humor, caso percam o limite nas doses. E nunca beba o chá após as refeições (a cafeína prejudica a absorção do ferro e da vitamina C pelo organismo) e nem à noite, a fim de evitar transtornos do sono.

Fonte: www.minhavida.com.br